Entrevista: Armandinho

Entrevista: Armandinho

O cantor Armandinho desembarca na cidade das capivaras no sábado, dia 3 de Dezembro, no festival Encontro das Tribos.  Ele fará um show repleto de sucessos. Para antecipar um pouco mais do show, o Expresso Cultural fez uma entrevista com o cantor. Confira:

Seu primeiro álbum de estúdio é de 2002 e o último de 2014. Qual a diferença do Armandinho daquela época para o Armandinho de agora? 

O tempo é um convite para o amadurecimento. A forma como eu via as coisas no primeiro álbum e como eu via no último, mudaram! Cresci, amadureci tanto o lado pessoal quanto o profissional, mas nunca deixei de ser quem eu sou. A essência permaneceu a mesma, intacta.

Em algumas entrevistas você disse que suas primeiras composições foram quando você tinha 12 anos. De onde veio essa vontade e essa vivência com a música?

A família do meu pai sempre foi ligada à música. Tenho boas recordações de ouvir meu pai cantando, ainda quando eu era criança… Sempre gostei muito de escrever também, o que contribuiu com o início de tudo.

O último álbum foi gravado em seu estúdio? Pode nos contar um pouco mais desse processo? 

Montei meu próprio estúdio em casa. Como moro na praia, os equipamentos são sempre desmontados em função da maresia, então sempre que surge trabalho novo, nos reunimos (banda) e fazemos uma maratona de ensaios, para gravar os discos. Sol loiro, um dos meus melhores, foi gravado assim e nada melhor do que isso, afinal é na praia e perto da família.

Qual é sua relação com a cidade de Curitiba?

Sempre gostei muito de Curitiba. Não sei se em função da recepção que tive todas as vezes em que estive na cidade ou se por ela ser encantadora mesmo! As pessoas são muito educadas, a cidade é limpa e mesmo que não seja uma cidade praiana, a galera curte o clima de praia. Agradável de estar, tenho um carinho muito grande por Curitiba. Meus shows sempre lotados e sem contar que meu primeiro fã clube foi o FC Curitiba!

Você irá tocar os sucessos como “Semente”, “Desenho de Deus” e “Toca uma Regueira Aí”? Terá alguma surpresa no show de Curitiba?

A hora do show é sempre uma surpresa! A gente sobe no palco e conforme a galera vai pedindo, nós vamos atendendo e tocando! Se pudéssemos, colocaríamos todas as músicas, mas como o show é de duas horas… fica difícil incluir todas! (risadas)

Você não possui um setlist pronto. Como escolhe as músicas que irão tocar? 

Então, como falei anteriormente… Sempre uma surpresa! O setlist é o público. O que eles mandam, a gente obedece e segue o embalo. É uma troca tão intensa de energia que não é justo chegar com um setlist pronto. O público merece ouvir o que o momento pede.

Qual a música que você mais gosta de interpretar ao vivo?

AnaLua sempre teve um significado muito forte, consigo sentir a música e a energia que ela traz. Inclusive, acredito que as pessoas conseguem sentir isso também. É como se eu me desconectasse e entrasse na música. Mágico!

Qual é sua relação com o surf? Você pratica algum outro esporte?

O surf é meu porto seguro. A água do mar em si, cura tudo. Surfar me faz bem, me alimenta. Ando muito de skate, aliás, andava direto mas tive uma dor forte no joelho que me fez dar um tempo.

Ainda sobre o surf, você já viajou para diversos países para surfar. Qual é o melhor em sua opinião?

Cada lugar é especial, depende a época. Sempre bom estudar as previsões, ver se o local vai ter onda no período de viagem e só curtir o que o momento proporciona.

Como é dividir o tempo entre música, família e trabalho? É bem corrido, né? Pode contar um pouco para a gente?

Consigo dividir o tempo tranquilamente. Durante a semana, fico sempre em casa com a minha família. Brinco com as crianças, tomamos café da manhã sempre juntos, consigo me fazer presente. Já nos finais de semana, preciso sair para trabalhar. As meninas compreendem minha rotina e isso ajuda bastante.

Tem algum novo projeto em vista? Se sim, pode adiantar alguma coisa?

Tenho um projeto para 2017. Um DVD acústico na praia. Estamos já trabalhando em cima disso, mas posso garantir que vai ser lindo!

 OUTRAS ATRAÇÕES

O evento também terá a participação de Gabriel o Pensador, Tribo da Periferia, Ventania e Marina Peralta.

SERVIÇO
Data: 03 de Dezembro de 2016 – sábado
Local: Automóvel Clube de Campo
Horário: Abertura – 21h
Classificação: 18 anos. Está autorizada a entrada de jovens de 16 e 17 anos, desde que acompanhados de pai, mãe, responsável legal (guarda ou tutela).
INGRESSOS:
PISTA: Promocional ¬ R$50,00 (meia)


FRONT STAGE: Promocional ¬ R$70,00 (meia)
ÁREA VIP Open Bar: Promocional ¬ R$120,00 (meia)
*Meia entrada para estudantes, doadores de Sangue, idosos, PNE, portadores de câncer, professores, cartão fidelidade Disk Ingressos, Clube Gazeta do Povo e Sócio Torcedor Coritiba ou levar um quilo de alimento não perecível.
VENDAS:
Online (com taxa de conveniência): https://goo.gl/Z3WUsH

Pontos de venda físicos: 


Surf Track

Plaza Shopping: 17 3305.3500

Shopping Iguatemi: 17 3234.9558

Shopping Fernandopolis: 17 3442.5768


Roots Tattoo

Telefone: 17 3301.1323

R. Coronel Espínola de Castro, 3781 - Centro


Taboka Veia Fashion

Av. Monte Aprazível, 2984

17 99197.9437 - Whats


Mojave Cidade Norte

Shopping Cidade Norte

Telefone: 17 3201.3000


Play Viagens

Avenida Bady Bassit, 5170

Telefone: 17 3121.6090
Realização: RHA Produções & Encontro das Tribos

Evento no facebook: 
https://goo.gl/SYgP5N

Informações: 17 99654.4061 (whats)


*Após comprado, não é possível realizar a devolução do ingresso.


Fonte: Expresso Cultural


Rhafa Man

Gosto daquilo que desafia, que faz vibrar, daquilo que me tira de qualquer tipo de zona de conformo, do tudo, do nada. Meu templo comporta minhas regras. Prefiro mudar do que estagnar, as vezes prefiro fluir como a gua ao me enraizar na terra. Sou rei, plebeu, criana ancio. Quero o tudo, as vezes apenas uma orao.


Comentários

Não fique de fora dos eventos. Cadastre-se, receba promoções, e venha com a gente viver intensamente.

  Cadastre-se